ÁREA RESTRITA - Bem Vindo {NOME_USUARIO}


NOTÍCIAS

Chapecoense perde para o Bahia e se mantem na zona do rebaixamento

Bahia venceu pelo placar mínimo, com gol de Elber aos 21 minutos do segundo tempo.

04/11/2018 às 22h02
Atualizada em 07/11/2018 - 18h53

A Chapecoense fica na preocupante 18ª posição após sair derrotada de um confronto direto contra uma equipe que também está nas proximidades da zona do rebaixamento. O Bahia venceu pelo placar mínimo, com gol de Elber aos 21 minutos do segundo tempo. Os baianos quebraram um tabu: foi a primeira vitória contra a Chape em sua história. 

O primeiro tempo teve Wellington Paulista sumido e Jandrei – em seu 100º jogo com a camisa da Chapecoense – bastante acionado, mas nenhuma vez com grande risco. Na etapa final, a Chape começou um pouco melhor, mas não teve força para ameaçar o Bahia. O time da casa fez o seu gol em uma das poucas jogadas que conseguiu construir no segundo tempo. 

Com o resultado, a Chapecoense fica com 34 pontos e ocupa a 18ª posição. Nesta segunda-feira (5), Sport recebe o Ceará na Ilha do Retiro às 20h. O que ocorre nesta partida pode jogar a Chape para a vice-lanterna. O Bahia foi a 40 pontos e está na 11ª posição. 

A Chapecoense volta a campo pelo Brasileirão contra o Santos só na próxima segunda (12), fora de casa. O Bahia enfrenta o rival Vitória no domingo (11) no Barradão.  

Primeiro tempo baiano com calor verde no final

Antes do apito inicial, um imprevisto do lado verde. O zagueiro Tyere deu lugar a Fabrício Bruno poucos momentos antes do jogo. De acordo com Claudinei Oliveira, Tyere sentiu uma "travada" na coluna durante o aquecimento. 

Com menos de dois minutos de jogo Jandrei deu um susto no torcedor. Ao receber uma bola recuada, o goleiro não dominou bem e quase cedeu à pressão do meio-campo Ramires e chutou para frente de qualquer maneira. A bola parou no pé do atacante baiano Edigar Junio, que não aproveitou e deu um chute fácil para a rebatida de Jandrei. 

Aos seis minutos, Bruno Pacheco afastou mal. Gregori pegou de primeira, rasteiro, e Jandrei fez uma bela defesa. O rebote caiu novamente com Edigar Junio, que chutou de bate-pronto para longe do gol. Aos 12, Zé Rafael recebeu bola da direita e chutou de primeira à esquerda do gol da Chapecoense. 

Só aos vinte minutos que a Chape frequentou a área do Bahia, em um escanteio que o goleiro Douglas, ao sair para socar a bola, recebeu falta.  Na jgada seguinte, o Bahia teve falta com relativo perigo para cobrar. Zé Rafael tentou colocar no ângulo direito, mas a bola foi alta demais. 

Aos 28, Zé Rafael está há 17 jogos sem marcar gol. E não foi aos 28 minutos que ele desencantou. Após cruzamento de escanteio desviado, a bola sobrou para ele, que deu um tapa de primeira. Não havia ninguém da Chapecoense que poderia evitar que a bola fosse ao gol, mas havia o colega Edigar Junio, que não conseguiu sair da frente e bloqueou o chute. 

Aos 34 a Chapecoense teve falta para cobrar a média distância. Claudinei orientou que Bruno Pacheco fosse para a bola. O volante cobrou em jogada de dois lances, mas o disparo saiu fraco e rasteiro, fácil para Douglas encaixar. 

Foi nos últimos minutos da primeira etapa que surgiram jogadas incisivas da Chape. Aos 43 Canteros colocou Leandro Pereira na cara do gol, o atacante ganhou na corrida, tirou do goleiro com um chute de direita, mas tirou demais e colocou para fora. Instantes depois a bola caiu nos pés do mesmo Leandro Pereira, que de longe chutou forte e carimbou a trave direita do goleiro Douglas.  

Segundo tempo morno; Bahia aproveita única chance

O Bahia mexeu na zaga durante o intervalo. Saiu Lucas Fonseca e entrou Douglas Grolli. 

Após o primeiro escanteio do segundo tempo, Wellington Paulista deu um susto. Depois de afastar a bola no primeiro pau, o atacante caiu repentinamente e pareceu desacordado. A equipe médica fez o atendimento e em poucos minutos o camisa nove voltou a campo normalmente. 

 O Bahia não entrou com a mesma pressão do primeiro tempo e quem primeiro criou chance foi a equipe visitante. Em chute cruzado, Osman obrigou Douglas a rebater aos seis minutos. Logo após, em escanteio, o voltante Amaral subiu tranquilo na primeira trave e cabeceou, mas não acertou o alvo. 

Os baianos perderam consistência com a bola no pé, e tentaram mais bolas alçadas na área. A estratégia facilitou o trabalho dos defensores catarinenses. Aos 18 houve lance ofensivo do Bahia em que a bola sobrou para Edigar Junio, mas a bandeira  estava erguida. 

Três minutos depois, no entanto, os tricolores encontraram o caminho do gol – e foi pelo chão. Após triangulação, Zé Rafael recebeu na entrada da área e passeou paralelamente à linha da grande área sem ser pressionado. O meia então passou em profundidade para Elber, que estava completamente livre e tocou com tranquilidade na saída de Jandrei.  

Para tentar reagir, a Chape fez duas substituições ofensivas logo em seguida. Doffo entrou no lugar de Osman e Bruno Silva, atacante, no lugar do volante Barreto. 

Aos 39 minutos o Bahia chegou perto. Após cruzamento, o atacante  Júnior Brumado tentou com a coxa, mas a bola foi no meio do gol e Jandrei defendeu em dois tempos.

Fonte: Diário Catarinense



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM